WhatsApp estreia ferramenta que permite pagamentos

Na última segunda-feira (15), o WhatsApp anunciou seu novo recurso: pagamento via aplicativo.

Esta novidade permite que usuários paguem por produtos e serviços, e transfiram dinheiro para parentes e amigos dentro do próprio aplicativo para celulares Android e iProne (IOS).

Disponibilizado inicialmente no Brasil, esta recurso é usado através da plataforma do sistema Facebook Pay. Conforme anunciado, os pagamentos no WhatsApp poderão ser feitos com cartões de crédito e débito do Banco do BrasilNubank e Sicredi inscritos nas redes Visa e Mastercard, além de contar com a Cielo como parceira inicial da manutenção do serviço.

Pensando na segurança do usuário, há múltiplas camadas de segurança, incluindo criptografia dos dados dos cartões e uso de PINs e biometria.

Dentre limites estabelecidos, é possível que o usuário envie R$1000 por transação e realize até 20 transações por dia, sendo que o limite financeiro no mês é de R$5000. Vale ressaltar que o sistema só funciona no Brasil e com a moeda Real.

Do lado das empresas, o importante é que o Facebook vai cobrar uma taxa fixa competitiva de 3,99% a cada transação feita dentro do sistema para o WhatsApp Business, oferecendo em troca funções como opção de pagamentos ilimitados de crédito e débito, reembolsos e suporte técnico 24 horas.

O sistema de pagamentos do WhatsApp é também uma forma do Facebook incorporar para seu negócio o mecanismo de transferências financeiras do WeChat, rede social chinesa que se tornou numa das principais plataformas de vendas do país após introduzir o recurso.

Para Mark Zuckerberg (dono da empresa), é necessário mirar nos pequenos negócios que veem esta operação como uma forma de crescimento, algo que o diretor de operações Matt Idema corrobora no anúncio ao dizer que “Pequenas empresas são fundamentais para o país.” e que “A capacidade de realizar vendas com facilidade no WhatsApp ajudará os empresários a se adaptarem à economia digital, além de apoiar o crescimento e a recuperação financeira”.

FONTE: https://www.b9.com.br/

Comentários